Páginas

terça-feira, 28 de julho de 2015

Batom Cereja

- Sabes, vieram perguntar-me sobre o batom.
- Que batom?
- Aquele que tinhas no outro dia e depois me beijaste o pescoço. Pelos vistos não foi só um beijo que ficou marcado, tinha o pescoço cor de cereja.
- Oh desculpa, eu não reparei.
- Deixa lá, isso não me preocupa, as marcas de batom saem com água e sabão. Preocupam-me mais as marcas no coração. O batom fez estragos mas tu, se quiseres, fazes bem pior.

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Decisions, decisions

Sabes, desde que te conheci que sempre gostei muito de três coisas em ti: o teu cabelo, os teus olhos e o teu sorriso - amo sorrisos rasgados. O único inconveniente é mesmo esses centímetros que não tens e que fazem falta, por exemplo, para eu te dar um beijo. Não é nada que não se resolva, mas tu não queres que eu fique corcunda, pois não?

É suposto eu fazer o quê? Bater-lhe porque a minha altura é inconveniente ou esticar-me para um beijo de agradecimento?

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Replay Infinito #6

Descobri esta música graças aos anúncios do Spotify e esta é a única ocasião em que se deve agradecer aos senhores da publicidade. Obrigado, senhores do Spot.

Ouvir esta música faz-me lembrar o pôr do sol ao vir de viagem, da praia ou do rio. Não é bom quando as músicas se enquadram per-fei-ta-men-te nos nossos dias?


Dancin' in the moonlight, don't we have it all?

- Boa viagem, Amor!..

... só não te esqueças que não esqueci o que tivemos. Eu arquivei. Sabes o que acontece aos arquivos? São consultados. E tu não vais querer que consulte o teu. Faz boa viagem, vais ouvir falar de mim.

sábado, 18 de julho de 2015

Cascata de Galegos da Serra - I'm in love!

Descobri um local a 10kms de Vila Real chamado Galegos da Serra - ao lado deste sítio -  e, nessa aldeia passa uma ribeira chamada Ribeira de Arnal. O que eu não sabia é que no Parque Natural do Alvão havia cascatas que nada ficam a dever às cachoeiras tropicais. Aquilo é um pequeno paraíso no meio da serra e parece que não há muita gente que o conheça. MELHOR: tem mais do que uma cascata, aliás tem várias, tem muitos lagos e aquilo funciona assim: vocês chegam e escolhem um depois é garantido que ninguém vos chateia. Estendem a vossa toalha nas pedras (fragões, como se diz aqui) e é só descansar enquanto ouvem a água a correr. Se chegarem cedo podem ir para a cascata grande, se não amanhem-se com o que há. Eu não tenho a certeza, mas penso que logo abaixo há outra cascata. "Penso" porque ainda não fui explorar. A água é surpreendentemente quente, tendo em conta que é uma ribeira e na cascata deixa de bater o sol pelas 16h. Fiquem com algumas fotografias com a qualidade de uma batata - tiradas em dias diferentes - e pode ser que se deixem encantar pelo Interior Norte de Portugal. Isto sim, é vida

Bikini com 20 anos patrocinado pela minha madrinha. Decisões de última hora dão nisto.

Antes da cascata





Clássica foto a tomar duche.



Aqui é logo abaixo da cascata.

Quando virem isto sabem que chegaram :)

terça-feira, 14 de julho de 2015

100º Post: Acabei o Secundário

Este é o meu centésimo post e vou-vos falar do meu secundário: começo por admitir que foram 5 anos até o acabar. Pourquoi? Je sais pas. Não sei porque não consegui fazê-lo em 3 anos como os outros. Não sei se foi por falta de estudo, não sei se não queria saber daquilo, não sei se era dos nervos nos testes e exames, não sei. Talvez tenha sido um conjunto de fatores que me tenha feito ficar. Mas sabem? Não me arrependo. Foi assim, numa das épocas mais complicadas da minha vida até agora, que descobri quem me fazia bem e quem me fazia mal, quem me apoiava de coração e quem era só por interesse, quem andava a gozar com a minha cara e quem gostava de mim a sério. Foi uma limpeza, custou durante uns tempos e depois dei o foda-se porque deve ser esse o percurso natural das coisas. E consegui. Consegui, finalmente, acabar o secundário, acabá-lo na primeira fase, acabá-lo com notas que põem o meu pai orgulhoso, acabá-lo apenas e só com o meu esforço, lágrimas e suor. Não quero que me dêem os parabéns porque só fiz o que me competia, ainda por cima com dois anos de atraso. Eu sei o que passei para conseguir e esse meu orgulho ninguém mo tira. Tenho obviamente que agradecer muito aos professores que nunca desistiram de mim e sempre procuraram a melhor forma de me ajudar, e esse mérito ninguém lhes tira. Penso que é raro, hoje em dia, que os alunos considerarem os professores como família como nós no Colégio consideramos: Mãe Dalila, Pai Sérgio e o Tio Hugo eram aqueles que nos acompanhavam mais de perto, o que não tira o mérito a todos os outros. Obrigada, a sério. Durante o ano eu só queria sair dali. Agora ainda nem acredito que já acabou. Passei de nível e agora é uma montanha russa que está sempre a subir.

A todos aqueles que estão na mesma situação, tenho a dizer que nunca desistam. Se querem mesmo, conseguem. Nunca entreguem testes em branco, façam exercícios, falem com os professores sobre os vossos problemas, filtrem os vossos amigos. Saiam um bocadinho à noite, arranjem a melhor forma de estudar. Não se revoltem muito por causa dos exames serem injustos ou o raio que os parta. Precisam de ajuda? Peçam-na. Nenhum dinheiro é mal gasto se for para vosso bem. Não desatem a engolir calmantes e suplementos, vão primeiro ao médico ou consultem um farmacêutico. Vai custar, vão-se passar, vão ter olheiras e viver aflitos mas vai valer a pena, eu garanto-vos.

segunda-feira, 13 de julho de 2015

As Corridas de Vila Real - Pt. III

Giro e tal, mas prefiro comer poeira. A falta de organização dentro do perímetro do circuito fez-me repensar a decisão de ter perdido dois dias de praia: desde estradas com dois sentidos em que cabia um carro e mal, pessoas e carros em sítios que não tinham condições para tal... basicamente o maior problema foi o trânsito dentro do circuito - por causa dos dois sentidos - que podia ter sido evitado criando um segundo circuito que permitisse a entrada e saída dos moradores de uma forma fácil (e segura). Bem sei que um circuito citadino tem uma organização diferente de uma prova de Rally, mas há que pensar mais nas pessoas que moram na cidade em vez de só se pensar em pôr floreiras na Avenida e alcatrão novo em algumas estradas "para turista ver". Não digo que não volte a ir ver as corridas porque vou talvez mais pelos carros do que pelo ambiente que se vive (nunca vi uma bancada tão morta como a que tinha à minha frente). Quanto ao Tiago Monteiro: arriscou-se e ficou pelo caminho, se tivesse corrido bem era a ultrapassagem mais espetacular de sempre, mas correu mal. Digo eu que foi de coração e não pensou com cabeça, por vezes a vontade de chegar ao pódio nos locais onde temos raízes tem destas coisas. Boa sorte no Japão.

Sábado à noite houve GNR e Pedro Cazanova na Avenida. Os GNR foram fenomenais, um concerto com muita energia e interação com o público. Cazanova é aquela base :)

Se querem conhecer Vila Real, venham no Outono quando as folhas estão a cair, a menos que gostem deste tipo de provas e não se importem com a confusão. Porque a sério, é mesmo uma confusão, "ah e tal mas tu andavas de carro, se fosses a pé não passavas por isso". Pois não, mas eu não ia andar quilómetros com o que equivale a uma mala de carro cheia de cerveja, água e água tónica. Para além disso, chegar a casa dentro do circuito sem dar cabo do carro, arriscar-se a apanhar um turista com copos a mais que se atira para cima de nós é um direito de quem lá mora. ORGANIZAÇÃO DO TRÂNSITO, SENHORES, ORGANIZAÇÃO!

sábado, 11 de julho de 2015

As Corridas de Vila Real - Pt. II

A Cidade está um pandemónio bonito de manhã e à noite, durante todo o dia não se passa nada no centro porque está tudo no circuito ;) Só se vêem motas porque neste momento é o meio de transporte mais indicado. Anda tudo maluco com as corridas e com o Audi R8 que a Polícia anda a passear pela cidade, que pessoalmente é algo que me faz gritar de alegria. A sério, dá mesmo vontade de andar na cidade (não de carro, porque fica no trânsito), cheira a corridas, ouvem-se os motores e a cidade está nos mapas e na boca do mundo. É este frenesim que me faz gostar de desporto automóvel. À noite há concertos, sendo que ontem foi o Tributo aos Queen e hoje temos GNR e Pedro Cazanova.
Amanhã será o meu dia de Corridas se me virem na TV - é bem provável porque o meu spot fica em frente a uma câmara - digam olá e tanto quanto sei a preparação para isso está a andar a velocidade de cruzeiro: desde porco no espeto a sobremesas e passando pela quantidade de bebidas aquilo dá para um casamento.



Ainda não sei se gosto mais de comer poeira ou de cheirar pneu queimado, mas estou lá para ver.

terça-feira, 7 de julho de 2015

Pulseiras e sinais

Hoje comprei três pulseiras daquelas que têm um fio de uma cor qualquer com um significado qualquer e depois tem enrolada uma linha "arco íris". Estão a ver quais são, é claro que sim. Apertei-as todas da mesma forma, com a mesma força (juro que era impossível elas saírem dali com uma ida à água)

Eram 3: vermelha, branca e azul. Amor, liberdade e saúde.
Fui à praia, perdi duas: a vermelha e a branca.

Das duas uma: ou estou tão bem nestes dois campos que nem preciso das pulseiras ou então está tão ruim que nem as pulseiras me valem. É um sinal do além, só pode. Let's see what happens


As corridas de Vila Real - Pt. I

É o seguinte: eu gosto de corridas MAS não são propriamente este tipo de corridas porque eu gosto mais de os ver derrapar e comer poeira do que passar o dia a inspirar o cheiro a pneu queimado (e gosto muito de andar de carro em Vila Real sem ter que pensar por onde é que tenho que ir porque em x sítio a estrada está cortada, não há estacionamento, polícia e GNR a passear, trânsito, confusão, pandemónio, pessoas a mais) no entanto vou vê-las porque:
1. É uma razão válida para sair de casa
2. É uma ótima ocasião para beber e comer à pála enquanto os vejo por entre as redes (outra razão para gostar mais de rally: não há redes e muito menos rails de proteção)
3. É um evento a nível mundial e bem, são carros a andar rápido.
4. É uma tradição e eu gosto de as manter.
5. Obrigou a realização de obras nas estradas (embora se tenham confinado ao circuito e não às vias de acesso. A sério, há ruas que são autênticos campos de minas para os amortecedores dos carros de tão grandes e profundos buracos no alcatrão. RUI SANTOS SE ESTÁS A VER ISTO: RUA DO PINGO DOCE, MINIPREÇO EM DIREÇÃO À SRA. DA CONCEIÇÃO, CRUZAMENTO DO SINALEIRO - NIVELA LÁ AS TAMPAS DO SANEAMENTO E COMPÕE O ALCATRÃO OU MANDO-TE A CONTA DOS BATENTES PARA PAGAR. E VOU À MARCA QUE É PARA FICAR MAIS CARO.)
6. Com sorte faço uns connects com uns pedaços de mau caminho


Anyway, o 45º Circuito Internacional de Vila Real realiza-se este fim de semana (10,11 e 12 de julho) e se gostam de os ver cortar curvas à campeão e a derrapar no alcatrão, venham até cá fazer-nos uma visita e let me know para irmos tomar um café por aí (ou não porque o meu spot para as corridas é demasiado bom. Podem sempre vir no sábado à noite aos GNR que eu estou disponível. Ou não porque o meu spot para os ver vai ser algo do outro mundo)

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Praia Fluvial do Coração aka "de Fornelos"

Vou-vos falar de um sítio para o qual tenho ido numa base vá, diária - o pessoal que me acompanha no insta sabe -: a praia fluvial aqui da zona, que fica a 4kms de minha casa e, se quiserem, a menos de 15 kms de Vila Real (20 minutinhos bem passados nessa grande estrada que é a Nacional 2 em direção a Santa Marta e virar na placa que diz Praia Fluvial de Fornelos)

Como o próprio nome indica, é uma praia construída num rio e por isso não esperem temperaturas da água acima dos 20ºC porque nem nos maiores dias de calor isso acontece - se bem que podem verificar-se exceções - e por isso vão preparados para água que varia entre o gelada como o coração dos vossos ex até custa um bocadinho a entrar mas está boa passando invariavelmente pelo está fria mas andas aqui 5 minutos e habituas-te - e já passei pelos tipo de temperatura sem repetições, até agora. A culpa não é deles, o simples facto de ser um local onde a água está sempre a correr não permite que ela aqueça muito. Fora este pormenor, é um espaço excelente para toooda a gente porque:
1. Não há areia na área de toalhas therefore não há areia nos carros
2. Há muito espaço para esticar toalhas, fazer picnics, jogar à bola e dançar o fandango
3. A profundidade máxima neste momento fica entre 1.40/1.50 (talvez menos, porque eu ponho-me em bicos de pés e fico com a cabeça fora de água)
4. Tem pontes e paredes para o pessoal se mandar a fazer bombas e encharcar-me só para me chatear quando estou no meu processo de entrada na água
5. Tem um bar que serve tábuas - basicamente um prato grande que dá comida para 5 pessoas - com fumeiro (chouriço, salpicão e presunto) e 3 queijos (camenbert, flamengo e um com casca laranja que não sei o nome) e podem pedir francesinhas (dizem que são boas ;) )
6. Vêem-se peixinhos na água eu passo-me quando vejo peixinhos na água. É como se fosse algo surreal
7. Pelo menos por enquanto há bastantes lugares para estacionar
8. Se querem paz e sossego, este é o local.
9. Se querem festa no fim de semana, é este o local.
10. Podem dizer "EI OH MANO TÁ DEMAIS O BAR DA PRAIA!" porque o bar chama-se mesmo "bar da praia"
11. WI-FI para os agarrados das tecnologias eu incluída porque né...
12. Façam-me perguntas porque sinceramente é tanta coisa boa que eu não me lembro de tudo.
Coisas não tão boas mas que uma pessoa até nem liga:
1. Não é vigiada no entanto nunca houve problemas (afogamentos e afins) porque é só pessoal responsável e há sempre alguém na água pronto a ajudar.
2. Querem lugares de estacionamento à sombra? Vão cedo e têm lugares mesmo à "porta" ou então vão tipo às 15 e têm lugares à sombra do outro lado da estrada (mas se forem a esta hora roubam-me o meu lugar que fica na berma da estrada, ali encaixadinho entre a sebe e o alcatrão, por isso vão mais tarde sff). Lá para Agosto é capaz de estar mais ruim devido à grande concentração de emigrantes, e aí é um ver se te avias para montar o bolinhas.
3. Penso que são só estas duas coisas.

Ok, não é uma piscina nem uma praia "normal". Mas é o melhor que se arranja perto e de graça - há quem vá a pé porque é mesmo perto, também já fui e é um tirinho. O pior mesmo é subir de volta mas arranja-se sempre boleia. E eu não troco esta praia por nada <3